Polícia Federal diz ter identificado “navio sujão”

Polícia Federal diz ter identificado “navio sujão”


Está ancorado na Nigéria o “navio sujão” que derramou 2,4 mil toneladas de óleo bruto em alto mar e o produto, por meio de correntes marítimas chegou ao litoral brasileiro, provocando um dos maiores desastres ambientais da história.  A embarcação de bandeira grega – registrado com o nome de Bouboulina – pode transportar 80 mil toneladas de petróleo.  Foi carregado em um terminal petrolífero da Venezuela, no final do mês de julho. Seu destino final era a Cingapura.

Segundo apurou a Polícia Federal, o “acidente” teria ocorrido num ponto a 730 quilômetros da costa da Paraíba.

O comandante da embarcação e a empresa proprietária estão sendo investigados por três crimes: Poluir o meio ambiente, omissão por não adotar medidas necessária para evitar que o produto se espalhasse no oceano e   sonegar informações s autoridades sobre o fato.



Compartilhe