Justiça libera PSL para processar deputados considerados infiéis

Justiça libera PSL para processar deputados considerados infiéis


O PSL conseguiu derrubar uma decisão da Justiça que impedia o partido de dar continuidade ao processo de suspensão, no Conselho de Ética da sigla, contra 19 parlamentares, incluindo o líder da bancada na Câmara, Eduardo Bolsonaro (PSL-SP). Os processos podem resultar em simples advertência até a expulsão dos correligionários. Todos os nomes são de parlamentares ligados ao presidente Jair Bolsonaro.

O PSL havia aberto esses processos contra grupo na semana passada, como uma tática para reduzir o poder dos bolsonaristas na Câmara e conseguir manter o deputado Delegado Waldir (PSL-GO), como o líder da bancada. Os "bivaristas" entendem que a suspensão tira dos parlamentares o direito de voto na escolha da liderança, o que colocaria um fim à "batalha das listas", dando maioria ao grupo ligado ao presidente do PSL, Luciano Bivar (PE). No entanto, pouco depois da decisão do partido, os 19 parlamentares conseguiram na Justiça uma liminar para evitar punições.



Compartilhe