URGENTE: Promotora de Justiça é a primeira vítima da portaria de condomínio de Bolsonaro

URGENTE: Promotora de Justiça é a primeira vítima da portaria de condomínio de Bolsonaro


Caiu a primeira das 03 Promotoras de Justiça que atuam no “caso Marielle Franco”.  As outras duas é só questão de tempo. Esse é o entendimento de 03 grande juristas do Estado do Rio de Janeiro, ouvidos pelo Cristalvox na tarde desta sexta-feira, o1 de novembro de 2019. Para os renomados operadores do direito, que consideram “primária” a pericia realizada nos arquivo eletrônicos da portaria do condomínio Vivendas da Barra, local onde reside o presidente Jair Bolsonaro e seu filho Carlos Bolsonaro.

Diante das informações disponíveis, de que a perícia foi realizada 02h30min antes da entrevista coletiva do grupo de Promotoras e que o material disponibilizado foram apenas 02 CDs, sem a devida apreensão da máquina que gerou as informações, agravado para o fato de que terceiros acessaram antecipadamente os dados nela contidos, fazem da perícia nada mais do que uma simples olhada no conteúdo de imagens e audição sonora.

É tão frágil os argumentos das Promotoras de Justiça quanto a seriedade da perícia divulgada que a Carmem Eliza Bastos de Carvalho, pressionada decidiu se afastar das investigações.

A tarde, depois de se mostrar resistente a ideia de deixar o grupo de investigação, cedeu e divulgou a seguinte nota:

"Em razão das lamentáveis tentativas de macular minha atuação séria e imparcial, em verdadeira ofensiva de inspiração subalterna e flagrantemente ideológica, cujos reflexos negativos alcançam o meu ambiente familiar e de trabalho, optei, voluntariamente, por não mais atuar no Caso Marielle e Anderson",

Em Brasília,  é consenso na Procuradoria Geral da República  que o PGR Augusto Aras foi induzido em erro ao arquivar a comunicação realizada pela autoridades que investigam a morte de Marielle Franco. Os detalhes da perícia não foi remetida à Procuradoria, até porque ela não existia no início de outubro de 2019, quando do envio do expediente.



Compartilhe